Um ladrão rouba um tesouro, mas não furta a inteligência. Uma crise destrói uma herança, mas não uma profissão. Não importa se você não tem dinheiro, você é uma pessoa rica, pois possui o maior de todos os capitais: a sua inteligência. Invista nela. Estude! (Algusto Cury)



quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Na Rede Globo

Saga de Érico Veríssimo ganha adaptação para a TV.


Foto: Divulgação

Uma das sagas mais conhecidas da literatura nacional volta em nova adaptação às telas. Estréia nesta quarta-feira, na Rede Globo, a minissérie O Tempo e o Vento, baseada  na obra de Érico Veríssimo. Virá agora com apenas três capítulos, mais compacta que a  clássica versão televisiva de 1985. Com direção de Jayme Monjardim, a nova série é uma transposição editada do filme lançado neste ano – com direito a novos personagens, não vistos no cinema. A série começará logo após a novela Amor à Vida.

A aventura gaúcha conta a história de amor entre Bibiana e Capitão Rodrigo, em meio aos conflitos de duas famílias opostas, os Terra Cambará e os Amaral, que viveram em confronto por mais de 150 anos. As histórias do pampa e das guerras são narradas por Bibiana, a centenária Terra Cambará que relembra a trajetória de sua família, desde sua avó Ana Terra (Cleo Pires) até o final de sua vida. A trama percorre os séculos 18 e 19 do Sul colonial/imperial brasileiro.

Santa Fé é a cidade fictícia onde se passa a história central. Construída no Parque do Gaúcho, em Bagé, Rio Grande do Sul, a cidade cenográfica ocupa 10 mil metros quadrados, conta com 17 edificações, e envolveu mais de 200 trabalhadores durante mais de seis meses. Na obra, Santa Fé foi fundada pelo imponente Ricardo Amaral (José de Abreu), que é quem acolhe Ana Terra. É em Santa Fé que ela reconstrói sua vida ao lado do filho ainda criança, Pedro (Eduardo Correa), após perder a família e suas terras em um ataque dos castelhanos.

Ana Terra  - vivida por Cléo Pires, papel que foi da sua mãe Glória Pires nos anos 80 - não poderia imaginar que seus sucessores se tornariam os principais rivais da família Amaral. O início desse combate se dá com a chegada do charmoso e divertido Capitão Rodrigo Cambará (Thiago Lacerda). Desejada por Bento Amaral e apaixonada por Rodrigo, Bibiana resiste às imposições daquela época e, com a ajuda do irmão, Juvenal Terra, convence a família de seu amor e, apesar de não ter aprovação do pai, se casa com o capitão. A minissérie apresenta mais uma geração da família Terra Cambará: Bolívar Terra Cambará (Igor Rickli), Florêncio Terra (Rafael Cardoso) e Luzia (Mayana Moura). A partir daí o cerco se fecha para os Terra Cambará. Prisões, mortes e mais guerras tomam conta da família, que seria sustentada pelo amor, dedicação e superação de Bibiana. A obra de Veríssimo foi iniciada em 1949 com o livro “O Continente”, seguido de“O Retrato”, em 1951, e “O Arquipélago”, em 1961.

Fonte: Tribuna do Norte



Nenhum comentário:

Postar um comentário