Um ladrão rouba um tesouro, mas não furta a inteligência. Uma crise destrói uma herança, mas não uma profissão. Não importa se você não tem dinheiro, você é uma pessoa rica, pois possui o maior de todos os capitais: a sua inteligência. Invista nela. Estude! (Algusto Cury)



quinta-feira, 20 de agosto de 2015

O Brasil na Primeira Guerra Mundial


O Brasil foi o único país latino-americano a participar da Primeira Guerra Mundial.

No início do século XX, cresceram intensamente as tensões na corrida capitalista entre os países europeus. Itália e Alemanha eram países recém unificados e participavam desse contexto oferecendo tempero especial, uma vez que procuravam recuperar o tempo perdido em relação aos demais países e, assim, conquistar suas próprias colônias.

Essa é a era do imperialismo, na qual as colônias não eram mais ocupadas por metrópoles, mas exploradas em questão de influência capitalista  e servindo como fontes de matérias primas que impulsionavam a industrialização europeia. Na década de 1910, a tensão existente pela constante disputa de interesses assumiu vias diretas de combate. Iniciava-se, assim, a Primeira Guerra Mundial, em 1914.

A Primeira Guerra Mundial envolveu vários países europeus em combate armado, porém todos foram impactados. Do outro lado do Atlântico, o Brasil se declarou neutro perante o combate que era travado no Velho Mundo. Sem envolvimento direto com o conflito, o governo brasileiro cedeu um navio chamado Rio Branco para ser operado pelos ingleses no combate. Esta foi a única perda do Brasil antes de se envolver com a guerra, pois, em 1916, os alemães afundaram o navio que, na ocasião, estava tripulado por noruegueses. Embora o Brasil não tenha sido diretamente atacado, já que o navio estava a serviço dos ingleses e era tripulado por soldados noruegueses, o evento causou certa comoção nacional, mas o contexto na situação não caracterizava um ataque ilegal da Alemanha ao Brasil. A população realmente se manifestou com indignação atacando e destruindo vários estabelecimentos alemães no Brasil com o ataque sofrido pelo vapor brasileiro Paraná. O navio brasileiro era um dos maiores da marinha mercante da época e foi torpedeado por alemães em águas neutras, matando três brasileiros. Este evento causou grandes manifestações e fragmentou a relação diplomática que era mantida com o Império Alemão até então.

Pior do que o naufrágio de um navio, foram as consequências que a guerra trouxe não só para o Brasil, mas para as relações diplomáticas e econômicas mundiais. No início do século XX, o Brasil tinha sua economia fortemente baseada na exportação de café. A guerra obrigava a mudança da destinação dos recursos dos países envolvidos, o que fez cair o volume de café exportado pelo Brasil, impactando mais diretamente a economia.

O crescimento dos desentendimentos diplomáticos, contudo, levou o Brasil a romper com o bloco germânico e ingressar na Primeira Guerra Mundial. Enquanto outros navios brasileiros eram atacados, o Brasil respondia da mesma forma e aprisionando navios alemães em portos brasileiros. Ao declarar guerra, o Brasil posicionou-se ao lado dos países aliados e abriu seus portos para os companheiros em combate. O país enviou para o continente europeu uma missão médica composta por civis e militares. Chegou-se a elaborar um plano militar que recebeu o nome de Plano Galógeras, porém a guerra terminou antes de qualquer execução. O Brasil só enviou um grupo de sargentos e oficiais à Europa para uma missão preparatória junto ao exército francês, o que também não resultou em nenhum envolvimento com combate. Coube mesmo à marinha a maior participação na Primeira Guerra Mundial, embora tenha sido uma participação muito modesta também.

A participação do Brasil na guerra possibilitou que o governo brasileiro ocupasse uma cadeira na Conferência de Paz de Paris, que originou o Tratado de Versalhes, e, assim, foi possível receber o pagamento de indenização por parte da Alemanha por ter prejudicado o comércio de café brasileiro. O Brasil também foi um dos fundadores da Liga das Nações.

Inicialmente, o Brasil foi impactado pela Primeira Guerra Mundial por reduzir drasticamente o comércio de seu principal produto de exportação, o café. Com o fim do conflito armado, houve uma grande demanda por diversos gêneros alimentícios, o que permitiu uma dinamização da economia brasileira e reaquecimento da economia. Além disso, o estrago feita pela Primeira Guerra Mundial no continente europeu possibilitou que o Brasil passasse por um surto de industrialização, influenciando ainda mais na dinamização da economia e na diminuição de produtos importados.

 

Fonte: http://www.grandesguerras.com.br/artigos/text01.php?art_id=68

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Canguaretama: Terceira aula de campo do ano letivo de 2015

Fotos da terceira aula de campo do ano letivo de 2015 realizada no dia 15 de Agosto. A mesma foi realizada com a turma do nono ano na cidade de Canguaretama e cidades vizinhas.

No Baobá em Pedro Velho - RN 

No Baobá em Pedro Velho - RN

Ruínas de Igreja Jesuíta em Pedro Velho - RN

Ruínas de Igreja Jesuíta em Pedro Velho - RN

Ruínas de Igreja Jesuíta em Pedro Velho - RN

Ruínas de Igreja Jesuíta em Pedro Velho - RN

Ruínas de Igreja Jesuíta em Pedro Velho - RN

Ruínas de Igreja Jesuíta em Pedro Velho - RN

No Baobá em Pedro Velho - RN

Durante a viagem de Aula Campo - RN

Igreja Católica histórica de Pedro Velho - RN

Engenho do Cunhaú em Canguaretama - RN

Engenho do Cunhaú em Canguaretama - RN

Engenho do Cunhaú em Canguaretama - RN

Igreja Católica histórica de Pedro Velho - RN

Engenho do Cunhaú em Canguaretama - RN

Engenho do Cunhaú em Canguaretama - RN

Engenho do Cunhaú em Canguaretama - RN

Engenho do Cunhaú em Canguaretama - RN

Santuário Chama de Amor em Canguaretama - RN

Santuário Chama de Amor em Canguaretama - RN

Santuário Chama de Amor em Canguaretama - RN

Santuário Chama de Amor em Canguaretama - RN

Santuário Chama de Amor em Canguaretama - RN

Santuário Chama de Amor em Canguaretama - RN

Santuário Chama de Amor em Canguaretama - RN

Santuário Chama de Amor em Canguaretama - RN

Igreja Católica Matriz de Canguaretama - RN

Igreja Católica Matriz de Canguaretama - RN

Igreja Católica Matriz de Canguaretama - RN

Igreja Católica Matriz de Canguaretama - RN

Igreja Católica Matriz de Canguaretama - RN

Igreja Católica Matriz de Canguaretama - RN

Prefeitura Municipal de Canguaretama - RN

Praça Central de Canguaretama - RN

Praça Central de Canguaretama - RN

Praça Central de Canguaretama - RN




Muito obrigado a todos!



quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Ex-candidato que prometeu ponte até Fernando de Noronha morre em Natal

Morreu na tarde desta terça-feira (11) o militar e ex-candidato a prefeito de Natal, Miguel Joaquim da Silva, conhecido como Miguel Mossoró. O ex-político tinha 76 anos e estava internado no Hospital do Exército, em Natal.

Natural de Mossoró, na região Oeste do Rio Grande do Norte, Miguel ganhou notoriedade pelas propostas inusitadas como a construção de uma ponte ligando a capital potiguar ao arquipélago de Fernando de Noronha.

Na campanha para prefeito, em 2004, Miguel Mossoró conseguiu 67.065 votos pelo PTC (Partido Trabalhista Cristão). A votação foi considerada expressiva na época. A eleição daquele ano terminou no segundo turno entre Carlos Eduardo e Luiz Almir. A candidatura foi repetida em 2008, mas o resultado ficou longe do anterior. Em 2014, nova tentativa sem sucesso nas urnas, desta vez para deputado federal.

Nas propagandas políticas, as propostas inusitadas de Mossoró não pararam na ponte entre Natal e Fernando de Noronha. Uma das mais famosas expressões era a ‘mãozada’ que prometia dar nos ‘gringos’ que assediassem as mulheres potiguares. Na época, a questão da exploração sexual por parte de estrangeiros causava polêmica na capital potiguar.

Fonte: G1


Projeto no Senado propõe punição a pais que não acompanharem desempenho escolar dos filhos

Pela proposta, pais terão que ir às escolas pelo menos uma vez a cada dois meses


Foto: Edilson Rodrigues/ Agência Senado
Brasília -­ A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado retorna aos trabalhos na terça-feira (4) com 18 itens na pauta. Entre eles, o relatório do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB­PE) sobre o projeto (PLS 189/2012) de Cristovam Buarque (PDT­DF) que estabelece punições aos pais que não acompanharem pessoalmente o desempenho escolar de seus filhos.

Pela proposta, os pais terão que ir às escolas pelo menos uma vez a cada dois meses, sendo que o encontro pode se dar por meio das reuniões de pais e mestres ou por de diálogo individual com os professores.

Quem não cumprir a regra da presença mínima estará sujeito a uma série de sanções. Entre elas, a proibição de se inscrever em concursos públicos, receber salários caso seja servidor público, participar de concorrências na área pública e obter empréstimos em bancos e nas caixas econômicas federais ou estaduais. O descumprimento da norma também impedirá a obtenção de passaporte ou de carteira de identidade. As medidas deverão ser automaticamente revogadas a partir do retorno dos pais ou responsáveis às reuniões escolares.

 "A participação dos pais na vida escolar é apresentada pelos especialistas como um dos fatores mais relevantes no sucesso escolar. A criança se sente acolhida", disse Bezerra.

Fonte: www.diariodecanoas.com.br






segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Touros - RN:Segunda aula de campo do ano letivo de 2015

Neste final de semana (08 de Agosto), um grupo de alunos do CEIMAR teveram a oportunidade de fazer uma visita ao Farol de Touros, a Praia do Marco do descobrimento e a Praia de Enxú Queimado - RN. A viagem contou com minha pessoa (professor de História), o professor De Ciências que por meio de atividade interdisciplinar com a disciplina de História pôde-se realizar um trabalho diferenciado durante todo o percurso dos alunos.

Agradecemos ao apoio da Marinha do Brasil que proporcionou a todos nós a oportunidade de visita e subida no que se refere a parte interna do Farol de Touros. 

Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal 
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal 
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal 
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal 
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal 
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal 
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal 
Farol de Touros RN
Foto: Arquivo pessoal 
Memorial do Marco do Descobrimento / Pedra Grande RN
Foto: Arquivo pessoal 
Memorial do Marco do Descobrimento / Pedra Grande RN
Foto: Arquivo pessoal 
Memorial do Marco do Descobrimento / Pedra Grande RN
Foto: Arquivo pessoal 
Memorial do Marco do Descobrimento / Pedra Grande RN
Foto: Arquivo pessoal 
Memorial do Marco do Descobrimento / Pedra Grande RN
Foto: Arquivo pessoal 
Praia do Marco RN
Foto: Arquivo pessoal
Praia do Marco RN
Foto: Arquivo pessoal

EM BREVE VAI TER MAIS...