Um ladrão rouba um tesouro, mas não furta a inteligência. Uma crise destrói uma herança, mas não uma profissão. Não importa se você não tem dinheiro, você é uma pessoa rica, pois possui o maior de todos os capitais: a sua inteligência. Invista nela. Estude! (Algusto Cury)



terça-feira, 4 de agosto de 2015

Sessão na Câmara é encerrada após protesto e professores detidos em MS

O protesto dos professores municipais na Câmara de Vereadores de CampoGrande terminou em confusão e grevistas detidos durante a sessão desta terça-feira (3), que foi a primeira após o recesso de julho. A cerimônia teve de ser encerrada porque o clima estava tenso no local. A segurança foi reforçada com policiais militares e guardas-municipais com escudos.

Fonte: g1.globo.com
As informações iniciais no local eram de que três professores foram detidos pela Guarda Municipal e levados para fora do plenário. Dois teriam sido liberados e o terceiro teria sido levado de viatura para a delegacia. Outros professores relataram agressões por parte dos guardas e alguns disseram que registrariam o caso na polícia.


Durante a fala dos vereadores, os professores cantaram músicas, hinos e faziam barulho, por isso, o presidente da Casa de Leis, vereador Mário César (PMDB), encerrou a sessão e informou que os vereadores não teriam a palavra livre na sessão.

Em greve há 66 dias, professores da Rede Municipal de Ensino (Reme) distribuíram 'cafezinho' na Câmara. No início da sessão, o presidente da Casa disse que os vereadores estavam na Câmara para ouvir os professores e que poderia acontecer avanço nas negociações a qualquer momento".
Fonte: g1.globo.com
De acordo com o presidente do Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública (ACP), Geraldo Gonçalves, cerca de 500 professores foram à Câmara Municipal nesta terça-feira, a 15ª vez desde o início da greve, no fim de maio.

A maioria dos manifestantes está vestida de camiseta de cor preta. Em frente ao prédio da Câmara, eles distribuem cafezinho para quem passa pelo local, em alusão a termo citado em conversas gravadas pela Polícia Federal (PF) com autorização da Justiça.

Fonte: g1.globo.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário