Um ladrão rouba um tesouro, mas não furta a inteligência. Uma crise destrói uma herança, mas não uma profissão. Não importa se você não tem dinheiro, você é uma pessoa rica, pois possui o maior de todos os capitais: a sua inteligência. Invista nela. Estude! (Algusto Cury)



quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Brasil é número um em mau comportamento na sala de aula, indica pesquisa

Os estudantes brasileiros lideram o ranking de indisciplina na sala de aula. É o que sinaliza relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A pesquisa internacional sobre ensino e aprendizagem, conhecida pela sigla Talis, aponta que o mau comportamento prejudica as instruções dos professores e absorção de conteúdo.

Entre os 34 países que participaram do Talis em 2008 e 2013, são os docentes brasileiros que dizem gastar mais tempo para manter a ordem em sala de aula. Em 2008, eram 18%. Já em 2013, essa porcentagem subiu para 20%, quando a média internacional foi de 13% nos dois períodos.
Foto: Internet

Mais de 60% dos professores no país relataram ter mais de 10% de alunos com problemas de mau comportamento. Situação parecida acontece com o Chile e o México. Nos dois países, os professores também afirmaram enfrentar essas questões em sala de aula. Por outro lado, no Japão, pouco mais de 10% dos professores indicaram lidar com interrupções dos estudantes.

Todavia, segundo a pesquisa, a indisciplina é generalizada no Brasil. Ao contrário do que muitos poderiam imaginar, os números de estudantes com mau comportamento são quase os mesmos nas escolas públicas ou particulares. A diferença foi de apenas três pontos.

Menos tempo

Além das interrupções pelos estudantes, há outras fontes que atrapalham o desempenho no ambiente escolar como lista de chamada, informações da escola e reuniões. Essas atividades consomem ainda mais o tempo de aprendizado e nesse quesito o Brasil também aparece em primeiro lugar. O Talis 2013 mostra que é de 33%, na média, o tempo de não instrução relatado pelos professores brasileiros. A média é de 21% entre todos os países participantes.

Outro ponto importante mencionado na pesquisa é a carência desses profissionais. Com poucos disponíveis em sala de aula, o número de alunos por classe aumenta. O que torna o ambiente pouco favorável para o aprendizado.

Fonte: www.amambainoticias.com.br


quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Prefeito deixa de investir no carnaval e usa verba para instalar ar em escolas do municipio

Neste ano o prefeito de Passo Fundo – RS, Luciano Azevedo (PPS), resolveu cancelar qualquer pagamento para as escolas de samba e decidiu aplicar nas escolas municipais os R$ 400 mil que estavam reservados para o Carnaval.

O dinheiro irá todo para a compra de aparelhos de ar condicionado e não para escolas de samba, com o dinheiro ele instalou cerca de 400 ar-condicionados nas salas de aula das escolas de educação infantil.

Foto: Internet
Os passo-fundenses dizem que não se pode perder a esperança nas atitudes de políticos que ainda possuem senso de clareza ao que se deve realmente ser feito com o dinheiro público e que acabou a palhaçada de investir no carnaval de rua, no qual apenas gera violência, bagunça e desordem! Fica a dica ao nosso prefeito.

Foto: Internet
O carnaval na nossa avenida é um grande exemplo de desperdício e que com certeza os moradores se sentem extremamente incomodados, por que pagam os seus impostos e o mínimo querem esperar  que se haja um consenso no investimento publico para o alto público e não para agradar uma minoria em nome de uma tradição que vem morrendo a cada ano.

Os pais de alunos que tiveram os seus filhos beneficiados com ar-condicionados em suas escolas estão felizes e agradecem a prefeitura.

Foi feito um plebiscito na cidade para que a comunidade de Santo Inácio, se expressasse sobre a ação do prefeito em não investir em carnaval e sim em escolas, a população aprovou a atitude positiva do gestor.

Fonte: www.portaldolitoralpb.com.br

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Governo do RN transfere ponto facultativo do Dia do Servidor

O Goverdo do Estado publicou no Diário Oficial desta quarta-feira (7), um decreto transferindo o ponto facultativo do feriado do servidor público, comemorado no dia 28 de outubro, uma quarta-feira, para o dia 30 de outubro, uma sexta-feira.

O decreto ainda estabelece que o ponto facultativo é válido para todos os órgãos e entidades da administração direta, indireta, autárquica e fundacional do estado, ficando de fora apenas atividades consideradas essenciais.


Fonte: g1.globo.com/

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Lei proíbe uso de celular na sala de aula

A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou, em maio de 2008, uma lei que proíbe alunos de usar celulares e aparelhos eletrônicos como MP3 players e videogames em escolas públicas e privadas da Educação Básica. Está liberada a utilização nos intervalos e horários de recreio, fora da sala de aula, cabendo ao professor encaminhar à direção o aluno que descumprir a regra.

O projeto de lei que originou a norma diz que o uso do telefone pode desviar a atenção dos alunos, possibilitar fraudes durante as avaliações e provocar conflitos entre professores e alunos e alunos entre si, influenciando o rendimento escolar. Se por um lado, a tecnologia serve de apoio às ações educacionais, por outro o seu uso exacerbado se torna um empecilho.

Há diferenças entre a discussão das formas e dos modos de fazer uso de tecnologias em espaços coletivos e sua exclusão.

A escola tem o dever de humanizar e educar cidadãos, posicionando-se por vezes no fio da navalha entre exercer a autoridade e ser autoritária. Não é imprescindível criar uma lei para disciplinar o uso desses aparelhos nas escolas, pois as determinações sobre essa questão podem constar do regimento interno e do projeto político-pedagógico.


Fonte: gestaoescolar.abril.com.br

24 de Outubro - DIA DA ONU

Em 24 de outubro, celebra-se o Dia da ONU – Organização das Nações Unidas –, em referência à data de sua fundação, que ocorreu no ano de 1945 em substituição à antiga Liga das Nações — extinta em razão da emergência da Segunda Guerra Mundial. Após o término desse conflito, foi assinada a Carta das Nações Unidas em 26 de junho do referido ano, o que deu origem à ONU, cujo funcionamento entrou em vigor, então, no dia 24 de outubro, data que, portanto, marca o seu aniversário.
Foto: Internet

Segundo a Carta das Nações Unidas, os objetivos da ONU são: a) manter a paz e a segurança em todo o mundo; b) Mediar e promover relações amistosas entre as nações; c) promover cooperações na resolução de problemas internacionais; d) ser o centro responsável por reunir as nações em prol desses objetivos em questão.

Atualmente, a ONU é composta por 193 países, configurando-se como uma das maiores organizações internacionais do mundo em número de países-membros. Desse total, 51 são os seus fundadores, ou seja, aquelas nações que assinaram a Carta das Nações Unidas em 1945, o que inclui o Brasil. O último país a aderir à ONU foi o Sudão do Sul, em 2011, ano em que esse país tornou-se independente.

A estrutura da ONU é formada pelos seguintes órgãos: Assembleia Geral, Conselho de Segurança, Conselho Econômico e Social, Conselho de Tutela e Corte Internacional de Justiça e o Secretariado Geral.

A Assembleia Geral é a instância decisória formada por todos os países-membros, de caráter deliberativo, cujas decisões devem ser aprovadas pela maioria absoluta dos votos. É nela que muitos países apresentam seus problemas, aprovam ou rechaçam resoluções, apresentam seus compromissos e pedidos de ajuda. A Assembleia Geral também ajuda a regulamentar os demais órgãos da ONU.

O Conselho de Segurança (CS) é o órgão relacionado com as resoluções a respeito da segurança internacional, cujas deliberações são de cumprimento obrigatório. Embora seja uma entidade altamente importante, é composta por apenas cinco países efetivos e cinco temporários, que são trocados a cada cinco anos, de modo que apenas os membros efetivos possuem o poder de vetar toda e qualquer decisão, o que significa que uma deliberação só é aprovada se todos os cinco países efetivos e a maioria absoluta dos membros estiverem favoráveis. Os cinco países efetivos são: Rússia, Estados Unidos, China, Reino Unido e França.

Já o Conselho Econômico e Social é formado por 54 membros escolhidos por votação na Assembleia Geral. Sua responsabilidade é comandar as ações econômicas e humanitárias da ONU, além de fiscalizar o trabalho de comissões, como a dos direitos humanos e outras.

O Conselho de Tutela foi um órgão criado para administrar os territórios comandados ou sob tutela da ONU. Quando o território de Palau, localizado no Oceano Pacífico, conseguiu sua independência, a ONU ficou sem tutela sobre nenhum local, de modo que esse conselho foi suspenso em 1994 por tempo indeterminado.

A Corte Internacional de Justiça é um importante órgão internacional que tem a função de julgar legalmente as nações em âmbito neutro e supranacional sobre eventuais crimes cometidos. A sua sede encontra-se em Haia, na Holanda, sendo por isso conhecida como Tribunal de Haia. Essa corte é formada por 15 juízes, que são escolhidos pelo Conselho de Segurança e pela Assembleia Geral. Embora sejam importantes, as decisões do tribunal não são consideradas de adoção obrigatória.

Por fim, o Secretariado Geral é responsável pela administração do organismo, além de gerenciar os programas e práticas da ONU, acionar o Conselho de Segurança e relacionar-se com a mídia. Seus funcionários são oriundos de praticamente todos os países-membros atuais.

Apesar de ser um órgão internacional importante, a ONU possui as suas limitações, sobretudo quando sua função é conter a emergência de conflitos pelo mundo e diminuir a desigualdade. Mesmo assim, essa entidade é extremamente importante no que se refere às relações diplomáticas internacionais e à questão humanitária em todo o planeta.


Fonte: www.brasilescola.com

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

inscrições do Enem para privados de liberdade começam em 1 de outubro

Prazo vai até as 23h59 do dia 23 de outubro.

Provas serão aplicadas em 1 e 2 de dezembro.


As inscrições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para os candidatos privados de liberdade e jovens que cumprem medidas socioeducativas começam a partir das 10h do dia 1 de outubro e vão até as 23h59 (horário de Brasília) do dia 23 de outubro. O edital do Ministério da Educação foi publicado nesta terça-feira (29) no Diário Oficial da União.
As provas serão aplicadas nos dias 1 e 2 de dezembro nas unidades prisionais e socioe-ducativas que tenham firmado termo de adesão no Inep.

As inscrições devem ser feitas pelos responsáveis pedagógicos de cada unidade no endereço eletrônico http://sistemasespeciais.inep.gov.br/unidadesprisionais.

O exame segue os mesmos moldes do que será aplicado nos dias 24 e 25 de outubro. No primeiro dia, em 1 de dezembro, os candidatos farão as provas de ciências humanas e ciências da natureza, com duração de 4 horas e 30 minutos. No segundo dia, será a vez das provas de linguagens, matemática e redação, com duração de 5 horas e 30 minutos. O exame começa sempre às 13h.

Com os Enem, os candidatos, dependendo do desempenho, podem solicitar a certificação do ensino médio ou ainda disputar uma vaga no ensino superior por programas como o Prouni (que oferece bolsa de estudos na rede privada) ou Sisu (que seleciona para as universidades públicas).



Fonte: g1.globo.com

Arábia Saudita aprova pena de morte para quem for pego com exemplares da Bíblia Sagrada

A perseguição religiosa contra cristãos na Arábia Saudita ganhou contornos mais extremos com a promulgação de uma lei que prevê a pena de morte para quem portar uma Bíblia.

A medida, indireta, faz parte de uma série de mudanças na legislação do país, é uma forma de atender às exigências da Sharia, lei muçulmana que é usada pelos governantes da Arábia Saudita como inspiração para as leis civis.
Foto: Internet

A pena prevista para quem for pego com uma Bíblia Sagrada é a morte, de acordo com informações da missão Heart Cry (“clamor do coração”, em tradução livre).

A medida foi implementada quando o governo alterou a legislação da importação de drogas ilegais e incluiu um artigo sobre literatura, prevendo que “todas as publicações de outras crenças religiosas não islâmicas e que tragam prejuízo” devem ser combatidas.

Na prática, tornou-se proibido entrar com Bíblias na Arábia Saudita, e quem for pego com um exemplar das Escrituras Sagradas do cristianismo deve ser condenado à morte por contrabando.

Na Arábia Saudita, país de maioria islâmica, o cristianismo é restrito a alguns estrangeiros que lá vivem, e as poucas igrejas existentes são pequenas e sem ligação com grandes ministérios internacionais.

Existe o temor de que, dessa forma, o plano para erradicar o cristianismo na Arábia Saudita alcance êxito, segundo informações do portal WND.

A Missão Portas Abertas divulga anualmente uma lista com os países que mais perseguem cristãos, e a Arábia Saudita figura na sexta colocação de piores nações para a divulgação do Evangelho.

“Se os muçulmanos verdadeiramente tivessem confiança que sua religião é verdadeira, não teriam medo de pessoas que leem a Bíblia”, comentou o teólogo Joel Richardson, autor de diversos livros sobre o islamismo.

Fonte: noticias.gospelmais.com.br