Um ladrão rouba um tesouro, mas não furta a inteligência. Uma crise destrói uma herança, mas não uma profissão. Não importa se você não tem dinheiro, você é uma pessoa rica, pois possui o maior de todos os capitais: a sua inteligência. Invista nela. Estude! (Algusto Cury)



segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Um feliz Natal e próspero Ano Novo...


União cobra R$ 192 mi ao RN

O Rio Grande do Norte terá que devolver, até abril de 2016, R$ 192,4 milhões à União pelas complementações recebidas para o  Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização do Magistério (Fundeb). A portaria interministerial nº 8/2015, publicada no dia 5 de novembro, retirou o estado potiguar da lista de unidades federativas que recebem aporte do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação para complementação do investimento per capita por aluno. De acordo com a lei do Fundeb, o aporte não é concedido a estados que tiverem o valor per capita aluno superior à média nacional. Segundo a Secretaria do Tesouro Nacional, o Estado arrecadou quase R$ 2 bilhões em 2014, R$ 300 milhões a mais que o previsto, e por isso não precisaria receber a complementação. O Executivo estadual contesta o aumento e estuda judicializar a questão.
Foto: Internet

Municípios já anunciam uma “quebradeira geral” nas contas caso a medida se concretize. As contas começaram a complicar desde outubro passando, quando o repasse da complementação foi suspenso. Em Ipanguaçu, a 184 quilômetros da capital potiguar, o pagamento dos professores terceirizados é realizado somente no dia 10 do mês posterior. Com a aproximação de janeiro, mês em que as unidades da federação serão obrigadas a implantar o reajuste de 11,36% do piso salarial do professor, alguns gestores não sabem se vão cumprir o pagamento. 

Criado em 2007, o Fundeb reúne 20% das receitas municipais e estaduais – sejam próprias ou de transferências constitucionais – para aplicações na educação. A arrecadação total dividida pela quantidade de alunos na rede estabelece o custo per capita de cada aluno. Pela lei nº 11.494, os estados que não atingirem a per capita nacional, que em 2015 foi de R$ 2,4 mil, receberão uma complementação de recursos da União. Até outubro, o RN fazia parte dos nove estados a receberam o benefício.

Para os gestores, a complementação representou fôlego em um ano de frustração das receitas do Fundo de Participação dos Municípios e royalties. De acordo com o prefeito de Campo Grande, Alessandru Alves, a devolução de recursos pode zerar a conta de vários municípios.

“É uma catástrofe geral. Em Santa do Seridó, o que a prefeitura receberá em abril de Fundeb não vai cobrir nem o que ele tem para devolver. Além disso, já saiu que o FPM só vai subir 3% no ano que vem, com salário mínimo reajustado em 10% e piso dos professores em 11%, como vamos fechar a conta?”, questionou. Embora o recurso também deva ser destinado para investimento, municípios como Caraúbas, Bodó e Natal utilizam100% dos recursos apenas para a folha. Dos R$ 19,5 milhões mensais recebido pelo estado, R$ 7,5 milhões ficavam com o Governo do Estado e o restante era repartido pelos municípios, de acordo com o número de alunos. 

Uma comitiva de prefeitos, acompanhado por senadores e deputados da bancada potiguar foram à Brasília na última quinta-feira (17) tentando reverter a decisão. Nesta terça-feira (22), os secretários de Tributação e Planejamento do estado, bem como o vice-governador Fábio Dantas, vão ao FNDE apresentar balanços sobre a arrecadação do Fundeb em 2014 que, segundo o Estado, foi realizada em R$ 1,2 bilhão.

Fonte: tribunadonorte.com.br 

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Senado inclui nome de Leonel Brizola no Livro dos Heróis da Pátria

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (9) a inclusão do nome do político Leonel Brizola no Livro dos Heróis da Pátria (PLC 67/2014). Também chamado de Livro de Aço, o Livro dos Heróis da Pátria fica exposto no Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, e serve de homenagem aos brasileiros que se destacaram na história do país.
Foto: Internet

Leonel de Moura Brizola nasceu em 1922, em Carazinho (RS), e morreu em 2004, no Rio de Janeiro (RJ). Fundador do PDT, Brizola foi governador de dois estados: Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Foi prefeito de Porto Alegre (RS), deputado estadual e deputado federal. Também lutou contra a ditadura militar e foi candidato à Presidência da República por duas vezes.

Dez anos

A proposta aprovada, de autoria do ex-deputado Vieira da Cunha (PDT-RS), também facilita homenagens futuras. A lei atual (11.597/2007) exige que a homenagem seja feita somente após 50 anos da morte do homenageado, prazo agora reduzido para dez anos.

A matéria segue agora para sanção presidencial.

Fonte: www12.senado.leg.br


sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

França abre inscrições para brasileiros cursarem ensino superior

Prazo para se candidatar a cursos de graduação termina em 21 de janeiro. Segundo a Campus France, taxa de admissão de brasileiros é de 85%.


Está aberto o período de inscrição para brasileiros que querem cursar o ensino superior na França. A partir deste ano, pela primeira vez, a candidatura pode ser feita exclusivamente on-line e não há necessidade de encaminhar cópias impressas de documentos. De acordo com Thaís Cardim, porta-voz da Campus France, taxa de admissão de candidatos brasileiros em instituições francesas é de 85%.

A entrevista presencial é o segundo passo da candidatura.

Para postular uma vaga de graduação ou pós na França, é necessário enviar um dossiê eletrônico que inclui informações sobre a experiência acadêmica e profissional dos candidatos, cartas de motivação, entre outros itens. O site para envio da documentação é o www.bresil.campusfrance.org.

O prazo varia de acordo com o nível e a área de estudo. Para o primeiro ano da graduação nas universidades públicas, o período de candidatura termina em 21 de janeiro. Para o segundo e terceiro anos de graduação e para o mestrado, o prazo se estende até 18 de março.

As universidades francesas são públicas, porém, o governo arca com 90% dos custo do ensino e não há distinção entre estudantes nativos e estrangeiros. Para as universidades, o custo, por ano, é de 200 a 400 euros, o equivalente a 800 a 1.600 reais.

Segundo a Campus France, agência governamental francesa responsável pela promoção do ensino superior, a França é o terceiro país mais procurado por estudantes que querem estudar no exterior. Só no ano passado, cerca de 4 mil brasileiros tiveram visto concedido para estudar França, segundo Thaís Cardim, porta voz da Campus France Brasil.

Para cursos de até três meses não é necessária a obtenção de visto. Com o visto de estudante, é possível trabalhar meio período. Há também diversas opções de cursos com estágio remunerado. Os alunos das instituições francesas ainda têm acesso a restaurantes universitários, auxílio-moradia e planos especiais para transporte.

Fonte: g1.globo.com


quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Acredito ser resultado de uma boa educação

Suécia fecha quatro presídios por falta de detentos: Taxa de ocupação do sistema carcerário do país vem caindo desde 2004


A Suécia passa por uma drástica queda no número de prisões nos últimos dois anos e, por esse motivo, as autoridades decidiram fechar quatro penitenciárias e um centro de detenção, informa reportagem do jornal britânico The Guardian. "Vemos um declínio extraordinário no número de detentos. Agora temos a oportunidade de fechar parte de nossa infraestrutura", disse Nils Oberg, diretor de Serviços Penitenciários do país.

O serviço penitenciário sueco fechou presídios em quatro cidades: Aby, Haja, Bashagen e Kristianstad. Dois desses prédios devem ser vendidos para a iniciativa privada e os outros dois devem abrigar temporariamente outras instituições estatais.

Fonte: veja.abril.com.br

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Um dia para ficar marcado na História do Brasil

Decisão de Cunha sobre pedido de impeachment de Dilma deve ser lida nesta quinta: Será criada comissão especial para analisar a denúncia. Dilma terá 10 sessões do Plenário, a partir da notificação, para apresentar a sua defesa


O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, anunciou nesta quarta-feira (2) que aceitou um dos pedidos de impeachment protocolado na Casa contra a presidente Dilma Rousseff. A solicitação, apresentada pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal em outubro, baseia-se, principalmente, em um suposto crime de responsabilidade contra a lei orçamentária.

O pedido, que tem apoio da oposição, alega que Dilma teria autorizado novas despesas primárias, no final do ano passado, quando o governo já havia reconhecido que não iria cumprir a meta de superavit primário prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A lei orçamentária de 2014 (Lei 12.952/14) só autoriza a abertura de créditos para novas despesas se eles forem compatíveis com a obtenção da meta de resultado primário da LDO. Em 2015, segundo a denúncia, o mesmo teria ocorrido.

De acordo com a Lei do Impeachment (1.079/50), o presidente da República pode ser processado por crime de responsabilidade por infringir a lei orçamentária.

Os autores do pedido de impeachment alegam ainda que a presidente deve ser processada pela prática das chamadas “pedaladas fiscais”, pelo uso de bancos públicos para pagar despesas típicas do governo, algo que é vetado pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Tanto as pedaladas como a edição de decretos foram analisadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em outubro, quando aprovou parecer recomendando a rejeição das contas da presidente Dilma Rousseff referentes ao ano passado.

Natureza técnica O presidente da Câmara afirmou que a sua decisão era de natureza técnica. “Não consegui encontrar nenhum argumento para descaracterizar a tese colocada”, afirmou. Cunha disse também que o pedido de abertura de processo de impeachment era a oportunidade de o País enfrentar de uma vez por todas esse tema. Segundo ele, se o processo não for aceito, o debate sobre o afastamento da presidente acaba no País.

Ao final, ele afirmou que não estava feliz com a sua decisão, mas não via outro caminho. “Não causa felicidade a ninguém isso. Mas não ficaria com isso [pedido] na gaveta sem decidir”.

Rito processual Com a decisão de Eduardo Cunha, o pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff seguirá um rito determinado pela Lei do Impeachment e pelas normas regimentais da Câmara dos Deputados. O trâmite é rápido.

Nesta quinta, Cunha deve ler, no Plenário, o pedido e a sua decisão, que será publicada no Diário da Casa. Na mesma sessão, ele determinará a criação da comissão especial que vai analisar a denúncia e receber a defesa da presidente, que será notificada. Dilma terá 10 sessões do Plenário, a partir da notificação, para apresentar a sua defesa.

A comissão especial terá 66 deputados titulares e igual número de suplentes, todos indicados pelos líderes partidários. O número garante a participação de parlamentares de todos os partidos e blocos da Câmara, como determina a Lei do Impeachment.

Após a indicação, a comissão especial será eleita no Plenário da Casa. Tão logo seja formada, no prazo de 48 horas, faz a primeira reunião para eleger o presidente e o relator. Nesta fase, pode haver disputa pelos cargos, que são decididos por maioria simples.

A partir do recebimento da defesa da presidente, a comissão especial terá cinco sessões do Plenário para votar o parecer, que pode ser pelo recebimento ou não da denúncia. O parecer aprovado será submetido ao Plenário, a quem cabe a palavra final sobre a abertura de processo contra a presidente da República. A votação ocorrerá 48 horas após a publicação do parecer da comissão especial.

Para que a Câmara autorize a abertura de impeachment contra Dilma, são precisos os votos de 342 deputados (ou 2/3 da Casa), em votação nominal. A partir daí, o Senado faria o julgamento da presidente.

Fonte: www12.senado.gov.br


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

IFRN Campus João Câmara promove V Torneio Aberto de Xadrez

Pelo quinto ano seguido, o campus João Câmara do IFRN sediará mais um torneio aberto de xadrez. No sábado do dia 05 de dezembro, acontecerá um torneio aberto a qualquer enxadrista do estado do Rio Grande do Norte, mas com foco no desenvolvimento do xadrez praticado na cidade e na região do Mato Grande. Na última edição, foram 76 participantes nos dois grupos: estudantil e absoluto.


A organização ficará a cargo da pela equipe de xadrez do IFRN-JC e contará com enxadristas de Poço Branco, Caiçara do Norte, Jandaíra, Ceará-mirim, Natal, Macaíba, Santa Cruz, dentre outros. O tempo de reflexão jogo será de 20 minutos para cada jogador por partida num total de 6 rodadas. Começará às 13h do próximo dia 05/12/2015 nas dependências do IFRN do campus João Câmara. A previsão de término é por volta das 18h.

A premiação contará com 2 troféus (um para cada campeão dos grupo absoluto e estudantil), 3 livros de xadrez e 31 medalhas para as diversas categorias: 5 primeiros dos 2 grupos, mulheres (melhor do absoluto e 3 primeiras do estudantil), 3 melhores do sub-16, 3 melhores do sub-14, 3 melhores do sub-12, 3 melhores do sub-10, melhor atleta externo ao Instituto, melhor sênior e medalha para a revelação do torneio estudantil (IFRN-JC).

Fonte: Blog de Assis

Um sistema de educação modelo no mundo: Finlândia

Há pouquinho tempo saiu um levantamento sobre o sistema educacional no mundo feito pela editora britânica que publica a revista Economist (a Pearson).

Esse levantamento incluiu países com dados confiáveis para que se pudesse fazer o estudo. A Finlândia foi a vencedora no que se refere ao quesito educação, a mídia internacional atualmente tem coberto o chamado “fenômeno finlandês” com encanto e muito empenho. Educadores de todas as partes do mundo têm ido para lá para aprender esse grande segredo.

Citarei coisas básicas do sistema finlandês que acredito não ter visto nas escolas publicas que estudei durante toda a minha infância:
  1. Todas as crianças têm direito ao mesmo ensino. Não importa se é filho de premiê ou do porteiro.
  2.  Todas as escolas são públicas, e oferecem, além do ensino, serviços médicos e dentários, e também comida.
  3. Os professores são extraídos dos 10% mais bem colocados entre os graduados.
  4. As crianças têm um professor particular disponível para casos em que necessitem de reforço.
  5.  Nos primeiros anos de aprendizado, as crianças não são submetidas a nenhum teste.
  6. Os alunos são instalados a falar mais que os professores nas salas de aula. (uma pesquisa nos Estados Unidos mostrou que 85% do tempo numa sala é o professor que falar).
O que falai é só um pequeno exemplo, apenas.

Claro que, para fazer isso, são necessários recursos. A carga tributária na Finlândia é de cerca de 50% do PIB. (No México, é 20%. No Brasil, 35%.).

Não é à toa que, também nas listas internacionais de satisfação, os escandinavos apareçam sistematicamente como as pessoas mais felizes do mundo.

Para ver de perto o jeito finlandês de educar crianças, basta ver um documentário que está no youtube.


Todos os educadores, todas as escolas, todas as pessoas interessadas na educação, no Brasil, deveriam ver e discutir o documentário.

Muito obrigado!





terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Campanha "Eu valorizo o Professor"

A Cortez Editora está com uma Campanha de Valorização dos Professores: a proposta é fazer imagens personalizadas, com a foto e a profissão das pessoas,  para que elas possam postar nas redes sociais o quanto valorizam o papel dos educadores em suas trajetórias.

Veja aqui há alguns exemplos das artes feitas.

Você quer uma imagem como essa? Basta enviar a sua foto com sua profissão (ou formação) para: 

Fonte: of2edu.blogspot.com.br

Aos meus alunos do CEIMAR...